RESERVE ONLINE QUIOSQUE ONLINE

Um percurso admirável

Esta é praticamente uma etapa-síntese do que a Rota Vicentina tem para oferecer: o poder do mar derramando-se sobre falésias antigas ou sobre tranquilas praias de areia, uma extraordinária biodiversidade de fauna, tranquilos bosques de sobreiros e várzeas cultivadas por homens sem pressa.

Miradouro da Fortaleza da Arrifana

Antes dizer adeus à Arrifana, é obrigatório visitar as Ruínas da Fortaleza da Arrifana, onde as vistas panorâmicas sobre a Costa Vicentina são impressionantes. Em dias claros conseguirá desvendar no horizonte o Pontal da Carrapateira e o Cabo de S. Vicente, o destino final da Rota Vicentina.

Praia do Canal

A parte final da descida até à praia do Canal é algo inclinada, pelo que aconselhamos o uso de bastão. Esta é uma praia de calhaus rolados, arredondados pela erosão constante das ondas e marés. São pedaços da rocha escura da falésia, frequentemente decorados com riscas brancas de quartzo.

Aroeira

Os matos que povoam grande parte deste percurso são ricos em aroeira. O produto mais valioso extraído da aroeira é o mastique, uma resina que escorre como lágrimas de pequenos cortes feitos na casca dos seus troncos.

Aldeia da Bordeira

Antes de chegar à Carrapateira e subir ao Cerro da Cunca, com vistas cimeiras sobre o vale e praia da Bordeira, irá atravessar a pacata aldeia da Bordeira, onde o tempo parece passar mais devagar. Pare para um café e uma conversa com quem assomar à porta ou à janela.

Caminho Histórico


 

Arrifana » Carrapateira

24 km

 
 
 

A Pedra da Agulha vista da praia do Canal, o areal de Vale Figueiras e uma sucessão de montes e vales, confirmam o lado mais agreste e inacessível desta região costeira. À chegada, uma vista cimeira sobre as dunas da Bordeira e a ribeira que desagua no mar, num cenário que se repete e caracteriza as praias da Costa Vicentina.

 



 
ABRIR MAPA

Nesta etapa admirável, é constante a presença simultânea da serra e do mar, da natureza intocada e da presença singular do Homem.

É praticamente uma etapa-síntese do que a Rota Vicentina tem para oferecer: o poder do mar derramando-se sobre falésias antigas ou sobre tranquilas praias de areia, matos plenos de cor e aromas, uma extraordinária biodiversidade de fauna, tranquilos bosques de sobreiros, zambujeiros e carvalho português, várzeas cultivadas por homens sem pressa, visitadas à noite por javalis e texugos, uma Primavera que explode em flores e insectos coloridos, um Outono que oferece cogumelos e plantas silvestres comestíveis, pontos de contemplação ao nível do mar, no cimo da falésia, na intimidade do bosque ou no alto de uma colina. Vale a pena um olhar mais demorado na praia do Canal e na aldeia da Bordeira.

Os matos que povoam grande parte deste percurso são ricos em esteva e aroeira, cujo fruto faz as delícias das aves granívoras. Nas praias rochosas batidas pelo mar é comum encontrar calhaus rolados, bem arredondados pela erosão constante das ondas e marés. São pedaços da rocha escura da falésia, frequentemente decorados com riscas brancas de quartzo, em desenhos geométricos inesperados.

Rumo ao interior, entre manchas de pinho e eucalipto em terrenos argilosos, sobreiros, medronheiros e terrenos agrícolas onde o gado pasta, a presença de hortas denuncia a chegada a uma povoação. Depois de passar a aldeia da Bordeira, a vista sobre o vale da ribeira da Bordeira e o estuário onde esta se junta à ribeira da Carrapateira assinalam uma vez mais a beleza da região.

 

+

Dicas


Abastecimento durante o percurso

Ao km 18.8, na aldeia da Bordeira.


Aproveite o Trilho dos Pescadores

O Circuito Pontal da Carrapateira é um percurso circular de 10 km com partida e chegada à aldeia. Fique mais um dia e aprecie a beleza da região, conhecendo melhor as redondezas.

 
FECHAR



 

Onde Começar

Arrifana:

Junto ao estacionamento no topo da praia da Arrifana, seguindo pela estrada asfaltada em direcção a Vale da Telha e Aljezur, até entrar no caminho de terra à direita.

Carrapateira:

No Largo do Comércio, seguindo pela estrada asfaltada na direcção de Aljezur, até ao Monte da Cunca, onde deverá entrar no caminho à direita.

Ficha Técnica

GRAU DE DIFICULDADE: DIFíCIL
EXTENSÃO: 24 KM
DURAÇÃO APROXIMADA: 7 HORAS
SUBIDA ACUMULADA: 413 M
DESCIDA ACUMULADA: 500 M
ALTITUDE MÁXIMA: 162 M
ALTITUDE MÍNIMA: 13 M
ÉPOCA ACONSELHADA:
SETEMBRO A JUNHO
 
+

Avisos Importantes

Descida difícil

Terá de ter especial cuidado na descida para a praia do Canal. Leve consigo um bastão de caminhada.

Leve água e mantimentos

Esta é uma etapa longa e onde irá encontrar apenas abastecimento quase à chegada, ao km 18.8, na aldeia da Bordeira. Deve abastecer-se na Arrifana e levar água (1.5 L mínimo) e mantimentos suficientes.

 
FECHAR

REGRAS E RECOMENDAÇÕES

A CIRCULAÇÃO DE VIATURAS MOTORIZADAS COLOCA OS CAMINHANTES EM RISCO
EVITE FAZER O CAMINHO HISTÓRICO DE MOTO OU JEEP, ESTUDE ALTERNATIVAS
NÃO FAÇA FOGO
VÁRIAS QUINTAS E REBANHOS SÃO PROTEGIDOS POR CÃES, CIRCULE COM PRECAUÇÃO.
CUIDADO COM O GADO. EMBORA MANSO, NÃO GOSTA DA APROXIMAÇÃO DE ESTRANHOS ÀS SUAS CRIAS.
OS CAMINHOS ATRAVESSAM PROPRIEDADES PRIVADAS, RESPEITE-AS E FECHE SEMPRE PORTÕES E CANCELAS.
FRACO APOIO DE SERVIÇOS TURÍSTICOS AO LONGO DA ETAPA. LEVE SEMPRE ÁGUA E MANTIMENTOS.
EM ALGUMAS SITUAÇÕES TERÁ QUE ATRAVESSAR ESTRADAS ASFALTADAS, TENHA ATENÇÃO
ENCONTRARÁ VÁRIOS LOCAIS IDEAIS PARA UM PIQUENIQUE, CARREGUE SEMPRE O LIXO CONSIGO.
SEJA AFÁVEL COM OS LOCAIS, APRESENTE O SEU PROPÓSITO E APROVEITE PARA PARTILHAR EXPERIÊNCIAS.
 




 

< ETAPA ALJEZUR » ARRIFANA



ETAPA CARRAPATEIRA » VILA DO BISPO >