RESERVE ONLINE QUIOSQUE ONLINE

Praia da Carreagem

A chegada ao litoral faz-se junto à praia da Carreagem, num percurso onde é possível compreender o processo de colonização das dunas, desde o nível do mar até ao pinhal. Antes de seguir para sul, não deixe de espreitar o areal da Carreagem e descer até á praia.

Ribeira de Aljezur

É na praia da Amoreira que a ribeira de Aljezur desagua sobre as águas do Atlântico. Antes de descer até à praia, siga o seu instinto e usufrua de vistas incríveis para norte e para sul.

Camarinheiras

As camarinheiras são um arbusto das dunas que, no Verão, oferecem saborosos frutos, semelhantes a pérolas, de fino sabor, simultaneamente doce e ácido. A camarinheira é endémica de Portugal e reza a lenda que as camarinhas são lágrimas da Rainha Santa Isabel.

Armérias em flor

Caminhar durante a Primavera é uma festa para os sentidos. O Parque Natural enche-se de vida e cor. Uma das flores que encontra ao longo de toda a costa são as armérias, enfeitando de cor-de-rosa os trilhos e as dunas. Localmente são também chamadas de “saudades”.

Caminho Histórico

Este circuito é o complemento ideal para quem está a fazer a etapa Odeceixe » Aljezur do Caminho Histórico. Outra sugestão é fazer uma caminhada circular com início e final em Aljezur, combinando os dois itinerários – 16 km.

Trilho dos Pescadores


 

Circuito Praia da Amoreira

6 km

 
 
 

Ao percorrer a etapa entre Odeceixe e Aljezur, depois do Rogil, encontra o desvio para este circuito complementar. A chegada ao litoral faz-se junto à Praia da Carreagem, onde uma pista de areia segue sempre junto à costa até que avista a impressionante foz da ribeira de Aljezur e a praia da Amoreira.

 



 
ABRIR MAPA

Neste percurso pode compreender-se o processo de colonização das dunas, desde o nível do mar até ao pinhal. Junto ao mar, as condições são agrestes – vento forte, exposição solar intensa, solo pobre e seco, salsugem (salpicos salgados do mar). Só verdadeiros “super-heróis das plantas” são capazes de crescer em tais condições. Aqui estão as camarinheiras, as perpétuas, o alecrim, o tomilho, o saganho-mouro, a roselha, a erva-das-sete-sangrias, o junípero e a joina-dos-matos.

À medida que se caminha para o interior, a rudeza abranda e a vegetação começa a crescer em altura até atingir o pinhal, que assume a linha de defesa mais próxima das povoações. Todo este exército vegetal assume o papel de amenizar os factores mais agrestes da proximidade do mar, proporcionando às populações do litoral e às suas culturas agrícolas um ambiente muito mais suave e ameno.

A foz da Ribeira da Amoreira é um paraíso para a observação de aves. Se é um birdwatcher vale a pena demorar-se pela foz, de binóculos em punho. Observe especialmente as zonas que ficam a descoberto na maré vazia, nos sapais, juncais e bancos de areia. Também as plantas endémicas desta costa, como Linaria ficalhoana, Biscutella vicentina, Diplotaxis vicentina e Thymus camphoratus, marcam presença na zona dunar da foz.

Já nos campos e matos, de regresso ao Caminho Histórico, encontram-se diferentes orquídeas selvagens, durante a Primavera.

 

+

Dicas


Abastecimento durante o percurso

Ao km 3.5, na praia da Amoreira.

Fique mais uma noite em Aljezur

Aproveite este circuito para fazer um percurso circular, com início e final em Aljezur. Sugerimos que comece em Aljezur e siga pelo Caminho Histórico até ao ponto de partida norte deste circuito complementar. Ao chegar à praia da Amoreira escolha entre regressar pela estrada asfaltada ou siga as marcações e regresse a Aljezur passando uma vez mais junto ao Parque de Campismo. Ambas as alternativas somam cerca de 16 km.


Combine este percurso com o Caminho Histórico

Ao percorrer a etapa entre Odeceixe e Aljezur, em qualquer um dos sentidos, aproveite este circuito complementar para conhecer a praia da Amoreira e caminhar junto à costa. Se o fizer, a etapa soma um total de 23 km.

Outra sugestão é um percurso circular de 7 km com partida e chegada à praia da Amoreira.

 
FECHAR



 

Onde Começar

Pedra da Mina (norte):

3 km após a aldeia do Rogil, depois do desvio principal para a praia da Carreagem, entrando no caminho à direita.

Perto do Parque de Campismo (sul):

Cerca de 1.2 km após o Parque de Campismo. Na encruzilhada entre Caminho Histórico e Trilho dos Pescadores, siga em frente e logo de seguida pela direita, descendo até à praia da Amoreira.

Ficha Técnica

GRAU DE DIFICULDADE: FÁCIL
EXTENSÃO: 6 KM
DURAÇÃO APROXIMADA: 2 HORAS
SUBIDA ACUMULADA: 79 M
DESCIDA ACUMULADA: 75 M
ALTITUDE MÁXIMA: 87 M
ALTITUDE MÍNIMA: 3 M
ÉPOCA ACONSELHADA:
SETEMBRO A JUNHO
 

REGRAS E RECOMENDAÇÕES

NÚMERO MÁXIMO DE 20 PESSOAS POR GRUPO. PARA FAZER EXCLUSIVAMENTE A PÉ
É PROIBIDA A CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS NAS DUNAS
É PROIBIDO ACAMPAR EM TODO O TRILHO DOS PESCADORES, PROCURE OS PARQUES DE CAMPISMO
PERCURSO NÃO RECOMENDADO A PESSOAS COM VERTIGENS OU MEDO DE ALTURAS
AS ARRIBAS SÃO SISTEMAS EM PERMANENTE PROCESSO DE EROSÃO, O SEU PISOTEIO REPRESENTA PERIGO DE QUEDA
A MARCAÇÃO SEGUE OS TRILHOS SELECCIONADOS PARA UM MENOR IMPACTO NA NATUREZA, RESPEITE-OS
VÁRIAS ESPÉCIES DE AVES NIDIFICAM NAS FALÉSIAS, PROTEJA-AS DE QUALQUER PERTURBAÇÃO
A VEGETAÇÃO DAS FALÉSIAS CONTÉM ESPÉCIES RARAS, ENDÉMICAS E INFESTANTES. NÃO RECOLHA AMOSTRAS
AS FALÉSIAS APRESENTAM FORMAÇÕES ROCHOSAS E VESTÍGIOS ARQUEOLÓGICOS. NÃO RECOLHA AMOSTRAS
FRACO APOIO DE SERVIÇOS TURÍSTICOS AO LONGO DA ETAPA, LEVE ÁGUA E MANTIMENTOS CONSIGO
NÃO FAÇA FOGO
NÃO DEIXE LIXO E AJUDE-NOS, TRAZENDO O QUE ENCONTRAR
 




 

< CIRCUITO PRAIA DE ODECEIXE



CIRCUITO PONTA DA ATALAIA >



RESTAURANTES MAIS PRÓXIMOS



ACTIVIDADES MAIS PRÓXIMAS