RESERVE ONLINE QUIOSQUE ONLINE

Rotas de Santa Clara

O percurso é composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km, com a aldeia de Santa Clara no centro, o que lhe permite escolher entre fazer os dois trajectos ou apenas um deles, começando na estação de Santa Clara-Sabóia, na barragem, ou numa das aldeias.

Ponte Romana

Próximo de Santa Clara passa-se pela ponte romana, como é chamada pelos habitantes da aldeia, provavelmente por se situar perto de uma via romana que ligaria Beja ao Algarve. O nome desta ponte é, de facto, ponte D. Maria, tendo sido um importante ponto de passagem para o Algarve durante o reinado de D. Maria II (1819-1853).

Igreja de Santa Clara de Assis

A Igreja de Santa Clara de Assis, na aldeia de Santa Clara, é da primeira metade do séc. XVI. É um edifício de arquitetura religiosa manuelina, barroca, vernácula típica da Ordem de Santiago de Espada à qual este edifício pertenceu.

Barragem de Santa Clara

Mandada construir pelo Estado Novo, a Barragem de Santa Clara foi concebida para beneficiar cerca de 12.000 hectares de terreno. É possível nadar, pescar e passear de barco na albufeira.

Marcação

Antes da Herdade do Azinhal, a meio da descida vindo da barragem (ao longo de 1.3 km) o percurso tem apenas uma marca no início e no final do troço, de forma a acautelar os interesses do proprietário. O caminho é linear e não apresenta dúvidas.

Percursos Circulares


 

Rotas de Santa Clara

10 km + 13 km

 
 
 

Na pacata aldeia Santa Clara-a-Velha vive-se a pureza da mística Alentejana, e é ela que dá o nome à Barragem, o grande lago inesperado da imensa serra do vasto concelho de Odemira. A aldeia de Sabóia, a estação ferroviária, a presença constante da água e as vistas desafogadas sobre um Alentejo montanhoso dão ainda mais brilho a um passeio perfeito para toda a família, composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km.

 



 
ABRIR MAPA

O percurso é composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km, com a aldeia de Santa Clara no centro, o que lhe permite escolher entre fazer os dois trajectos ou apenas um deles, começando na estação de Santa Clara-Sabóia, na barragem, ou numa das aldeias.

As aldeias de Santa Clara e Sabóia merecem uma paragem com tempo. É quase obrigatório comprar produtos locais únicos, como o excelente mel e a aguardente de medronho. Vale a pena ainda a visita à fonte do Azinhal, em Santa Clara, datada de 1892 e restaurada em 1995. É um óptimo local para piqueniques e a água é de excelente qualidade.

O percurso entre Santa Clara e a barragem é dominado pela albufeira e pela ribeira, nome localmente dado ao rio Mira. A jusante da barragem, a vegetação ribeirinha contém acácias, mimosas, choupo,freixo, salgueiros, juncos e atabúas. Os agriões e o poejo atapetam os troços menos profundos do rio fora da época das cheias e os remansos mais profundos estão cobertos por nenúfares. Nos terrenos mais férteis, junto ao rio, há hortas e pomares de laranjeiras, figueiras e oliveiras. As aves marcam este percurso, cheio de bons habitats, embora a primazia caiba à pega-azul (localmente designada de charneco).

Entre Santa Clara e Sabóia a atenção do caminhante vai dividir-se entre o desenho admirável do relevo na paisagem, a riqueza da flora e os inesperados encontros com um bando de perdizes, pintassilgos ou outras aves. A estação do caminho-de-ferro, situada a meio caminho entre as aldeias, é um edifício típico que ainda conserva elementos com interesse como o relógio, a balança e os painéis de azulejos.

 

+

Dicas


Abastecimento durante o percurso

Aldeias de Santa Clara-a-Velha e Sabóia.

 
FECHAR



 

Onde Começar

Santa Clara-a-Velha: Junto à Igreja de Santa Clara-a-Velha, seguindo à direita pela Rua de Goa. Direcção Barragem: continuando pela Av. Engenheiro Amaro da Costa, paralela ao rio. Direcção Sabóia: continuando à direita passando junto ao espelho de água.

Sabóia: Na rotunda de Sabóia, entrando na aldeia. Junto à Igreja vire à direita até chegar ao cemitério onde encontra indicações.

Estação de Santa Clara-Sabóia: (Direcção Santa Clara) Atravessando a linha de comboio e virando à esquerda na estrada. (Direcção Sabóia) Passando a ponte de cimento sobre a ribeira e virando à direita.

Nota: na ficha técnica, a informação da esquerda é referente ao percurso "De Santa Clara à Barragem" e da direita ao percurso "De Santa Clara a Sabóia".

Ficha Técnica

GRAU DE DIFICULDADE: FÁCIL | ALGO DIFÍCIL
EXTENSÃO: 10 KM + 13 KM
DURAÇÃO APROXIMADA: 3.5 HORAS | 4 HORAS
SUBIDA ACUMULADA: 178 M | 254 M
DESCIDA ACUMULADA: 178 M | 254 M
ALTITUDE MÁXIMA: 210 M | 161 M
ALTITUDE MÍNIMA: 45 M | 40 M
ÉPOCA ACONSELHADA:
SETEMBRO A JUNHO
 
+

Avisos Importantes

Marcação

(De Santa Clara à Barragem)
Antes da Herdade do Azinhal, a meio da descida vindo da barragem (ao longo de 1.3 km) o percurso tem apenas uma marca no início e no final do troço, de forma a acautelar os interesses do proprietário. O caminho é linear e não apresenta dúvidas.

Cuidado!

(Entre Santa Clara e Sabóia)
Antes da estação de caminho-de-ferro, terá que caminhar por 300 m na estrada. Circule com precaução e no sentido oposto ao trânsito.

 
FECHAR

REGRAS E RECOMENDAÇÕES

A CIRCULAÇÃO DE VIATURAS MOTORIZADAS COLOCA OS CAMINHANTES EM RISCO
EVITE FAZER ESTE PERCURSO DE MOTO OU JEEP, ESTUDE ALTERNATIVAS
NÃO FAÇA FOGO
VÁRIAS QUINTAS E REBANHOS SÃO PROTEGIDOS POR CÃES, CIRCULE COM PRECAUÇÃO
CUIDADO COM O GADO. EMBORA MANSO, NÃO GOSTA DA APROXIMAÇÃO DE ESTRANHOS ÀS SUAS CRIAS
OS CAMINHOS ATRAVESSAM PROPRIEDADES PRIVADAS, RESPEITE-AS E FECHE SEMPRE PORTÕES E CANCELAS
EM ALGUMAS SITUAÇÕES TERÁ QUE ATRAVESSAR ESTRADAS ASFALTADAS, TENHA ATENÇÃO
NÃO EXISTE ABASTECIMENTO AO LONGO DO PERCURSO, LEVE ÁGUA E MANTIMENTOS CONSIGO.
ENCONTRARÁ VÁRIOS LOCAIS IDEAIS PARA UM PIQUENIQUE, CARREGUE SEMPRE O LIXO CONSIGO
SEJA AFÁVEL COM OS LOCAIS, APRESENTE O SEU PROPÓSITO E APROVEITE PARA PARTILHAR EXPERIÊNCIAS
 




 

< PERC. CIRCULAR DUNAS DO ALMOGRAVE (PR1 ODM)



PERC. CIRCULAR HORTAS DE S. LUÍS (PR2 ODM) >


 

ALOJAMENTOS MAIS PRÓXIMOS