RESERVE ONLINE QUIOSQUE ONLINE

Rotas de Santa Clara

O percurso é composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km, com a aldeia de Santa Clara no centro, o que lhe permite escolher entre fazer os dois trajectos ou apenas um deles, começando na estação de Santa Clara Sabóia, na barragem, ou numa das aldeias.

Ponte Romana

Próximo de Santa Clara passa-se pela ponte romana, como é chamada pelos habitantes da aldeia, provavelmente por se situar perto de uma via romana que ligaria Beja ao Algarve. O nome desta ponte é, de facto, ponte D. Maria, tendo sido um importante ponto de passagem para o Algarve durante o reinado de D. Maria II (1819-1853).

Igreja de Santa Clara de Assis

A Igreja de Santa Clara de Assis, na aldeia de Santa Clara, é da primeira metade do séc. XVI. É um edifício de arquitetura religiosa manuelina, barroca, vernácula típica da Ordem de Santiago de Espada à qual este edifício pertenceu.

Barragem de Santa Clara

Mandada construir pelo Estado Novo, a Barragem de Santa Clara foi concebida para beneficiar cerca de 12.000 hectares de terreno. É possível nadar, pescar e passear de barco na albufeira.

Marcação

Antes da Herdade do Azinhal, a meio da descida vindo da barragem (ao longo de 1.3 km) o percurso tem apenas uma marca no início e no final do troço, de forma a acautelar os interesses do proprietário. O caminho é linear e não apresenta dúvidas.

Percursos Circulares


 

Rotas de Santa Clara

10 km + 13 km

 
 
 

Na pacata aldeia Santa Clara-a-Velha vive-se a pureza da mística Alentejana, e é ela que dá o nome à Barragem, o grande lago inesperado da imensa serra do vasto concelho de Odemira. A aldeia de Sabóia, a estação ferroviária, a presença constante da água e as vistas desafogadas sobre um Alentejo montanhoso dão ainda mais brilho a um passeio perfeito para toda a família, composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km.

 



 
ABRIR MAPA

O percurso é composto por duas rotas circulares, que combinadas perfazem um total de 23 km, com a aldeia de Santa Clara no centro, o que lhe permite escolher entre fazer os dois trajectos ou apenas um deles, começando na estação de Santa Clara Sabóia, na barragem, ou numa das aldeias.

As aldeias de Santa Clara e Sabóia merecem uma paragem com tempo. É quase obrigatório comprar produtos locais únicos, como o excelente mel e a aguardente de medronho. Vale a pena ainda a visita à fonte do Azinhal, em Santa Clara, datada de 1892 e restaurada em 1995. É um óptimo local para piqueniques e a água é de excelente qualidade.

O percurso entre Santa Clara e a barragem é dominado pela albufeira e pela ribeira, nome localmente dado ao rio Mira. A jusante da barragem, a vegetação ribeirinha contém acácias, mimosas, choupo,freixo, salgueiros, juncos e atabúas. Os agriões e o poejo atapetam os troços menos profundos do rio fora da época das cheias e os remansos mais profundos estão cobertos por nenúfares. Nos terrenos mais férteis, junto ao rio, há hortas e pomares de laranjeiras, figueiras e oliveiras. As aves marcam este percurso, cheio de bons habitats, embora a primazia caiba à pega-azul (localmente designada de charneco).

Entre Santa Clara e Sabóia a atenção do caminhante vai dividir-se entre o desenho admirável do relevo na paisagem, a riqueza da flora e os inesperados encontros com um bando de perdizes, pintassilgos ou outras aves. A estação do caminho-de-ferro, situada a meio caminho entre as aldeias, é um edifício típico que ainda conserva elementos com interesse como o relógio, a balança e os painéis de azulejos.

 

+

Dicas


Abastecimento durante o percurso

Aldeias de Santa Clara-a-Velha e Sabóia.

 
FECHAR



 

Onde Começar

Santa Clara-a-Velha: Junto à Igreja de Santa Clara-a-Velha, seguindo à direita pela Rua de Goa. Direcção Barragem: continuando pela Av. Engenheiro Amaro da Costa, paralela ao rio. Direcção Sabóia: continuando à direita passando junto ao espelho de água.

Sabóia: Na rotunda de Sabóia, entrando na aldeia. Junto à Igreja vire à direita até chegar ao cemitério onde encontra indicações.

Estação de Santa Clara Sabóia: (Direcção Santa Clara) Atravessando a linha de comboio e virando à esquerda na estrada. (Direcção Sabóia) Passando a ponte de cimento sobre a ribeira e virando à direita.

Nota: na ficha técnica, a informação da esquerda é referente ao percurso "De Santa Clara à Barragem" e da direita ao percurso "De Santa Clara a Sabóia".

Ficha Técnica

GRAU DE DIFICULDADE: FÁCIL | ALGO DIFÍCIL
EXTENSÃO: 10 KM + 13 KM
DURAÇÃO APROXIMADA: 3.5 HORAS | 4 HORAS
SUBIDA ACUMULADA: 178 M | 254 M
DESCIDA ACUMULADA: 178 M | 254 M
ALTITUDE MÁXIMA: 210 M | 161 M
ALTITUDE MÍNIMA: 45 M | 40 M
ÉPOCA ACONSELHADA:
SETEMBRO A JUNHO
 
+

Avisos Importantes

Marcação

(De Santa Clara à Barragem)
Antes da Herdade do Azinhal, a meio da descida vindo da barragem (ao longo de 1.3 km) o percurso tem apenas uma marca no início e no final do troço, de forma a acautelar os interesses do proprietário. O caminho é linear e não apresenta dúvidas.

Cuidado!

(Entre Santa Clara e Sabóia)
Antes da estação de caminho-de-ferro, terá que caminhar por 300 m na estrada. Circule com precaução e no sentido oposto ao trânsito.

 
FECHAR

REGRAS E RECOMENDAÇÕES

A CIRCULAÇÃO DE VIATURAS MOTORIZADAS COLOCA OS CAMINHANTES EM RISCO
EVITE FAZER ESTE PERCURSO DE MOTO OU JEEP, ESTUDE ALTERNATIVAS
NÃO FAÇA FOGO
VÁRIAS QUINTAS E REBANHOS SÃO PROTEGIDOS POR CÃES, CIRCULE COM PRECAUÇÃO
CUIDADO COM O GADO. EMBORA MANSO, NÃO GOSTA DA APROXIMAÇÃO DE ESTRANHOS ÀS SUAS CRIAS
OS CAMINHOS ATRAVESSAM PROPRIEDADES PRIVADAS, RESPEITE-AS E FECHE SEMPRE PORTÕES E CANCELAS
EM ALGUMAS SITUAÇÕES TERÁ QUE ATRAVESSAR ESTRADAS ASFALTADAS, TENHA ATENÇÃO
NÃO EXISTE ABASTECIMENTO AO LONGO DO PERCURSO, LEVE ÁGUA E MANTIMENTOS CONSIGO.
ENCONTRARÁ VÁRIOS LOCAIS IDEAIS PARA UM PIQUENIQUE, CARREGUE SEMPRE O LIXO CONSIGO
SEJA AFÁVEL COM OS LOCAIS, APRESENTE O SEU PROPÓSITO E APROVEITE PARA PARTILHAR EXPERIÊNCIAS
 




 

< PERC. CIRCULAR DUNAS DO ALMOGRAVE (PR1 ODM)



PERC. CIRCULAR HORTAS DE S. LUÍS (PR2 ODM) >


 

ALOJAMENTOS MAIS PRÓXIMOS